O Construtor de Futuros

O livro conta a história de Carlos, um funcionário de um Centro de Emprego lisboeta, cuja noção de serviço público ultrapassa o convencional.

Aqui fica um bocadinho da história, para abrir o apetite:

Sentado à secretária no Centro de Emprego, Carlos ouvia atentamente a narrativa do homem que tinha à sua frente. Quando ele por momentos se interrompeu, tentando encontrar um papel na pasta que trazia consigo, a mente de Carlos começou a trabalhar, todo o seu cérebro concentrado em procurar activamente uma solução para aquele caso.
Emprego, dificilmente lhe conseguiria arranjar, mas um conjunto de ideias começaram a nascer, ideias criativas, formas arrojadas para construir um futuro diferente para o homem que, sentado à sua frente, pedia a sua ajuda.
Quando o homem voltou a falar, entregando-lhe o documento que faltava, foi com sinceridade que Carlos lhe respondeu:
- Não se preocupe com o seu futuro. Agora… está em boas mãos!

Ver por dentro

2 comentários:

jcarlos. ferreira. drn disse...

Ainda é possível oferecer futuros?
O último mercado de futuros... bem sabemos para onde nos levou!

Os cte's tem futuros?

Rita Vilela disse...

Olá, Carlos
Eu não tenho dúvidas de que é possível construir futuros!!!
Por muito má que seja a envolvente, mesmo em situações limite, o ser humano consegue encontrar caminhos alternativos... que o levam a futuros diferentes. E, em última instância, o que condiciona o nosso futuro é a forma como reagimos ao que nos acontece. Ou não é?
Mas, para mudar, é necessário acreditar.
Um beijinho e votos de que consigas construir o futuro que desejas